menu

PROGRAMA

 

Os Nossos Vizinhos Dormem Cá em Casa

De 20 a 30 Abril

Qui. A Sáb. às 21h30 | Domingo às 17h

M/12

SINOPSE

Numa noite, um casal instalado e conservador recebe a inesperada visita de duas pessoas. Esta aparição espontânea, inusitada e excepcional rapidamente se torna efetiva. Judite e Almerindo entram na casa e na vida daqueles de quem supostamente iriam ser apenas vizinhos. Quando Simone, a proprietária da casa, abre a porta pela primeira vez, não adivinha a avalanche de confusões e discussões, reviravoltas e revelações que a esperam e ao seu marido, Afonso. O novo casal vai alterar por completo as suas rotinas e comportamentos. Por certo, nada estará igual na manhã seguinte.

São o inesperado e a surpresa que alimentam esta peça, uma história de reviravoltas constantes e desconcertantes, uma comédia proporcionada pelos efeitos da mentira e do ridículo com que o Ser Humano tantas vezes se confronta.

UM TEXTO DE
Carlos Alves
COM:
Ana Campaniço
Carlos Alves
Rafael Dias Costa
Susana Rodrigues


CONFISSÕES

De 4 a 7 Maio

De Qui. A Sáb. às 21h30 | Domingo às 17h

M/12

Sinopse

No pouco tempo de vida que ainda tem, um homem, solitário, aguarda pela chegada dos espectadores para confessar-se. Transporta-nos para a imagem de várias figuras marcantes na história da humanidade através da luta entre ser real e as suas projecções.
Confissões conta com a interpretação de três actores que ao longo da peça evidenciam o que ficará “decretado” no futuro.

FICHA TÉCNICA
Encenação
Marisa Manarte
Assitência de Encenação/Produção
Rita Carmelo
Intrepertação
Hugo Santos Silva
Mariana Belo
Alice Cunha
Fotografia
Jorge Martins
Design Gráfico
Joana Santos


LUA DE JOANA

De 11 a 14 Maio

De Qui. A Sáb. às 21h30 | Domingo às 17h

M/12

Sinopse

Joana procura entender como é que a sua melhor amiga Marta se envolveu com o mundo das drogas num caminho que a levou à morte por overdose. Nesta adaptação do livro de Maria Teresa Maia Gonzalez, procuramos mostrar os processos racionais, emocionais e psicológicos que Joana sofre na sua busca e as consequências que isso tem na sua vida quotidiana. Nesta peça, através de um jogo de complementaridade e confronto entre diferentes componentes da personalidade e vida de Joana, vamos acompanhar os processos internos e externos que a levam não só à compreensão acerca do caminho da amiga, mas à criação do seu próprio trágico destino.


COMPOTA DE POESIA

De  26  a 28 Maio

De Sexta  e  Sáb. às 21h30 | Domingo às 17h

M/12
Sinopse

Devido ao elevado teor emocional, aconselha-se uma compota de poesia 3 a 4 vezes por semana. Um consumidor assíduo descobrirá o sentido oculto das palavras e perceberá que a poesia pode tomar a forma de teatro e de canto. Não tem efeitos secundários perniciosos, mas atenção: causa habituação.

Texto – Poesia de Fernando Pessoa e heterónimos
Encenação – Paula Antunes
Elenco – Ana Videira, Francisco Gomes, Hugo Baptista, Natacha de Noronha e Pedro A. Rodrigues
Direção Musical e Sonoplastia – Hugo Baptista
Fotografia: Joana Jesus
Desenho de Luz e Operação técnica – Ricardo Ladeira
Cartaz – Pedro Miguel Sousa
Produção e Comunicação – Bruna Pereira
Direção Artística – Teatro Língua de Trapo

/